domingo, 1 de novembro de 2009

Ê saudade

- Ah, mas porque é feriado na segunda ?
- É dia de finados. 
- Mas feriado não é para coisas boas ?
- Sim. 
- Por que então é feriado, se me lembra uma coisa triste ?

Ficamos todos sem palavras. Tentamos explicar  que o feriado é uma forma de homenagear as pessoas que amamos e que já se foram. Mas ele insistiu em dizer que esse feriado é triste e ruim. Que não devia ser feriado.
Uma criança de 8 anos que conheci essa semana. A mãe e o irmão ficaram calados, olhando uns para os outros, acolhendo aquele olhar de quem entende a tristeza e a dor.
Conheci essa familia, que perdeu o pai e marido a 2 anos para um cancêr, que foi "descoberto tarde demais"
Crianças inteligentes, tão maduras para a idade, que na simplicidade e inocência do ser criança, superam a perda, e expressa tambem sua revolta por não ter mais seu heroi.
Pedi um compasso para continuar a atividade, e o mais velho olha para o compasso e diz: 'Ah, faz uns 20 anos.. foi meu pai que me deu'. Deu sorriso, e parou o olhar como se lembrasse de algo.. O pensamento foi longe.
Pronto. Não tiro mais essas crianças da minha cabeça. A mãe, uma pessoa maravilhosa, tenta entender o motivo disso tudo. Mas sempre afirma no discusso "ninguém disse que seria fácil"

Hoje fomos prestar nossas homenagens as pessoas que amamos, e que perdemos. 
No cemitério, o caçula de quatro filhos estava sendo enterrado junto com os irmãos. Eles tinham uma doença congenita, e ontem faleceu. A mãe sabia do sofrimento do filho e chorava em silêncio. Era confortada pela voz dos filhos que se calaram, pelas lágrimas de dor que cessaram.
Sabia que essa não é a ordem natural. São os filhos que deveriam enterrar seus pais.
E as pessoas que estavam por lá, visitando túmulos, lembrando dos entes, um choro silencioso, um olhar que acompanha e entende da dor daquele que perde.
Um milhão de perguntas (pra variar) surgiram na minha cabeça. Essa é a única certeza da vida. E porque evitamos falar ?! A morte é algo que não se conversa...
Pensamos como aquela criança que sabe que o dia é triste, que a perda é dolorida.
Mas é a certeza da vida.
Por isso, viver a vida da melhor maneira, conservar as pessoas, fortalecer amizades e amores, deixar histórias para serem contadas, fazer história. Ser quem fez diferença no mundo!
Hoje, como todos os dias, bateu aquela saudade.
Saudade das histórias que vivi com meus avós, que hoje tenho certeza que se encontraram e são anjos dessa familia.
Saudade do colo, do cheiro, do sorriso. Saudade das broncas, dos puxões de orelhas, e de fazer comer o lanche da tarde, mesmo tendo acabado de almoçar. Saudade de assistir televisão agarrada com ela, saudade do dominó na garagem com direito a apostas com ele.
Saudade da história que vivemos.



'é deixar que o tempo leve o que é dele..'

7 comentários:

Glau Ribeiro disse...

Hoje minhas lágrimas caíram depois de ler teu texto, Sarita. Chorei por dentro. Deu saudades. Muitas.

Ninguém disse que seria fácil...

Déia disse...

To emocionada!

A gente pensa em feriado, viaja, vê o sol... e quantas vezes nos esquecemos do real motivo do feriado!

Um beijo cheio de saudade pra todos os meus queridos que já não estão aqui! Eu tb n tenho erxplicação, só me resta aceitar que um dia, tudo acaba!

Hoje falo sobre mulheres no blog q fui convidada!

Adoraria q vc passasse por lá!

bjs

http://aceuabertodaboca.blogspot.com/

meus instantes e momentos disse...

texto bonito e triste. Singelo e doído.Um texto pra se guardar,no fundo do coração.
Maurizio

Na. disse...

Só é uma pena que muita gente faz qualquer coisa menos homenagear seus mortos...

Xerus
=***

Menina Nina disse...

Sarinha, vc me fez chorar com o seu post...

Avós são tesouros muito preciosos na nossa vida!

Jeany disse...

Interessante ouvir comentários de crianças, né?

A gente acha que a inocência deles impede de ver muitas coisas, mas muitas vezes eles vêem mais coisas que nós!

Obrigadinha pela dica no meu blog. Seria ótimo passar o ano novo em Floripa, mas tive que optar pelo litoral norte de SP. Acabei escolhendo Maresias! Espero ter feito boa escolha!

Beijao

Sammyra Santana disse...

Que texto bonito, gêmea...
eu fui lá, prestar minhas homenagens ao meu pai, avós e padrinho...
Mas sabe, tudo é uma questão cultural... veja, no México fazem festa nesse dia dos mortos, onde preparam comidinhas, bebidinhas e se reúnem pra lembrar da spessoas queridas que passaram por suas vidas, contar histórias sobre elas e tal...
A filosofia oriental não vê a morte como algo triste tb... vê como uma passagem, tanto que se preparam pra ess emomento desde miudiquinhos...
Acho que agora vou fazer como os mexicanos... vou comemorar os momentos maravilhosos que passei com meu pai aqui, as risadas que dei, as coisas engraçadas que ele dizia... pq pra mim é isso que importa! São essas as lembranças que quero guardar comigo até o dia em que nos encontrarmos outra vez!
Beijinho, flor!