segunda-feira, 3 de maio de 2010

Hoje livre sou...

Engraçado como essa vida nos dá cada lição. 
Ontem, fiz uma dinamica no grupo onde as pessoas se reportavam umas as outras de acordo com rotulos pré determinados, que estavam colados na testa de cada um A brincadeira foi descontraida e aqueles que receberam rotulos que lhe faziam mal, ficaram extremamente incomodados, já aqueles que receberam rotulos que lhes engradeciam, ficaram completamente satisfeitos com a bajulaçao e atençao. 
Como somos rotulados nessa vida! Qualquer atitude, ou até mesmo em momentos em que acabamos de conhecer ou ser conhecidos. Quem não já ouviu aquela: 'caraca, quando eu te vi pela primeira vez, te achei tão séria..(ou) tao chata'. Se ajo de deteminada maneira, sou taxada rapidamente de algo.
Como rotulamos as pessoas. Sem conhecer, sem entender a história de vida dela, sem saber de nada. Pela roupa, pela cabelo, pelo esmalte da unha.. Se está arrumada demais: é patricinha. Se tá desarrumado demais: é bandido! 
E ai que fomos pra aventura da noite, num show de uma banda católica (Adoraçao e vida) numa cidade satelite que tem 'fama' de ser violenta. Galera apreensiva, uma outra ficou pq era nessa lugar. No final, foi o show mais tranquilo e lindo que eu já fui nos ultimos tempos. A banda conseguiu silenciar a galera.. E foi tão tranquilão! 
Rotulamos as coisas, as pessoas, e acabamos tambem internalizando os rotulos que nos é dado. 
Sem essa de rótulos. Vamos aprender a conhecer, e apenas chamar pelo nome. E quando rotulados, saber que o lance é não aceitar. Voce se conhece muito bem.. E sabe que não é! Tão mais simples. Tanto pra mim, quanto pra você!!

Tenho sede da tua graça, cada dia mais
Sou mais forte e vou mais longe quando aqui estás
Com palavras de amor te adoro, Senhor
Hoje livre sou

9 comentários:

Igor Cardoso disse...

POST lindo e SHOW perfeito!
REPITO! POST lindo e SHOW perfeito!

paulo disse...

É Sarah, os rótulos estão em toda parte e infelizmente temos de conviver com eles nesta sociedade, mas muitas vezes, como nesta brincadeira, é difícil para nós aceitarmos como nos veem. Somos quem queremos ser e nem sempre o que passamos é captado por quem nos vê.

Beijo

Carol disse...

Adorei o post!!
Ahh.. conheço essa musica, ela é realmente linda..
E quanto ao texto, esse negocio de rotular as pessoas acaba parecendo preconceito por parte da humanidade, mas por mais que isso aconteça, nós nos conhecemos muito bem e não devemos nos importar com o que falam de nós, pois eles podem pensar e falar o que quiserem, mas não significa que seja verdade, é apenas uma opinião ilusoria e não a verdade!
É uma pena que o coração e os olhos dessas pessoas não enxerguem a realidade

Beijos e uma otima semana

Sammyra Santana disse...

Ôh gemea, eu penso que um grande mal do mundo é justamente este, essa capacidade que temos de rotular as pessoas, que ficam estigmatizadas durante um bom tempo, senão a vida inteira...
Ah se nos aceitássemos apenas como seres humanos, ah se aprendêssemos a deixar nosso etnocentrismo de lado e não enxergássemos o outro como melhores pou piores que nós, mas sim como diferentes, ah como seria bom...
beijo, flor!

Jeferson Diesel disse...

Adorei o post, visivelmente agente é as vezes até discriminado por o que parecemos ser. Mas na verdade até nós julgamos pelo que vemos e não pelo o que conhecemos... é bom pensarmos antes...
um abraço

Menina Nina disse...

A gente rotula mesmo!! Acho que é involuntário, sei lá!! Tenho essa mania, mas procuro não exteriorizar isso, guardar para mim e tentar mudar um pouquinho!

Camila disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Camila Diesel disse...

O ato do julgamento pode até ser involuntário, mas rotular é outra coisa. Como eu já disse em um post, "Antes de falar, tente conhecer. Antes de criticar, abra sua mente. Se depois disso, você chegar a conclusão de que não curte, é outra história".

Beijos... e passa lá no meu blog!

Sammyra Santana disse...

semana beeeeeeeem linda pra vc, minha gemea!